Quinta-feira, 22 de Abril de 2010

O DIVINO ESPIRITO SANTO EM ALENQUER

 

    Está a decorrer em Alenquer, desde 4 do corrente  prolongando-se até 23 de Maio, as Festas do Império do Divino Espírito Santo.

 

   "O Concelho de Alenquer, situa-se a 25 minutos de Lisboa, entre a Serra de Montejunto e o Rio Tejo, delimitado pelos seus variados acidentes geográficos, que determinam a paisagem desta velha civilização rural, carregada de tradições, onde se ergueram Paços Reais, Conventos e Quintas com pedras de armas, pertencentes a Nobres, Dignitários da Igreja ou Abastados Lavradores.

 

   Daqui partiram ancestralidades que sobrevivem ainda hoje nos Açores e no Brasil, através das Festas do Divino Espírito Santo e saíram Damião de Góis e Pêro de Alenquer, entre outros Ilustres Filhos, à descoberta do Mundo.

 

   Aqui, nesta terra cujas origens se perdem na memória do tempo, recolheram-se monges e freiras para rezar, meditar e ajudar as gentes locais.

 

  Que nos tempos que correm bem precisavam de uma ajudinha Divina, para fazer face ao Orçamento da Câmara Municipal para 2010 , aprovado em Fevereiro, e que contemplava uma dívida a Fornecedores na ordem dos Seis Milhões de Euros, quando os valores em divida, vindos a publico posteriormente, são na ordem dos Treze Milhões de Euros.

 

    Um desfasamento de cerca de Sete Milhões de Euros  que o Senhor Jorge Riso, Presidente da Câmara,  (PS),  justifica como "um erro dos serviços, que deveriam ter incluído na dívida a Terceiros as Facturas em Conferência".

 

   Como se tratasse de uma minudência que ninguém conhecia, ou de que ninguém se lembrou, dado o valor insignificante da mesma. Só mesmo para rir Senhor Riso.

 

   Não pretendemos entrar em pormenores acerca de temas como gestão danosa, ou outras semelhantes, mas alegar em reunião da Câmara que não se conhecia a dívida ou que se tratava de Facturas em Conferência, quando se foi Vice-Presidente da Câmara nos últimos oito anos é querer fazer de tolos os eleitores de Alenquer.

 

   Aqui está um bom exemplo para José Junqueiro, Secretário de Estado do Poder Local, meditar quando voltar a afirmar que a Administração Local é o sector "mais transparente" do País.

 

   E já agora uma pergunta simples: O assunto fica assim? E não acontece nada a ninguém? Nem uma demissãozita para Eleitor ver?

 

Estado de Alma: de barrete enfiado
Livro: Partido com Paredes de Vidro
publicado por Lanzas às 08:28

link do post | comentar | favorito

EM DESACORDO

Janeiro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

JE SUIS CHARLIE

QUANDO NÃO ERA FIXE FALAR...

Marcelo, Santana e o Cand...

Marcelo, Passos e o Candi...

DIREITOS DOS ANIMAIS ...

O ORÇAMENTO DO NOSSO DESC...

CLARA FERREIRA ALVES

CHOVE EM LISBOA

A FISCALIZAÇÃO SUCESSIVA ...

SUPONHAMOS

arquivos

Janeiro 2015

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Procurar no blog

 

links

blogs SAPO

subscrever feeds

blogs SAPO

tags

todas as tags