Sábado, 29 de Maio de 2010

ARRIBAS DE SAGRES

 

Foto: João Portalegre

 

POR UM PEIXE SE ARRISCA A VIDA

Estado de Alma: Pescador
Livro: Aquele Dia Inesquecivel
publicado por Lanzas às 21:10

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 27 de Maio de 2010

OS VIADUTOS DO NOSSO DESCONTENTAMENTO

   Segundo notícias recentes veiculadas na Imprensa, um viaduto construído há cerca de 20 anos na EN 202 em Monção vai ser demolido,  pois nunca foi utilizado por falta de acessos.

 

   Instada a tomar posição sobre o assunto a Câmara de Monção propôs "a sua demolição, uma vez que a construção dos acessos é inviável, já que de um lado há uma quinta de vinho alvarinho e do outro um conjunto habitacional", e a "construção, em seu lugar, de uma rotunda, reivindicada há largos anos".

 

   O custo do referido viaduto situado no Lugar da Pousa, freguesia de Monção, projectado para integrar uma variante, afim de permitir o atravessamento da estrada sem ser necessário utilizar um perigoso cruzamento ali existente, foi de 100.000,00 € a que se deverá acrescer agora o valor da sua demolição, o qual por certo não será despiciendo.

 

   Também em Alverca, Concelho de Vila Franca de Xira, bem visível a quem passa na Auto Estrada Lisboa/Porto, existe um viaduto cujo destino deverá ser o mesmo, pois parte do nada e chega a lado nenhum. Há cerca de um ano esteve prevista a sua demolição, com custos a suportar pela Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, mas o proprietário do viaduto não autorizou, pois quer inserir essa demolição numa negociação mais vasta sobre a Urbanização que supostamente o viaduto deveria servir. Acrescente-se que parte dos pilares do viaduto foram construídos em cima de uma linha de água e que os terrenos em que o mesmo está apoiado integram a Reserva Agrícola Nacional (RAN). Detalhes.

 

   Estes dois exemplos fazem-nos lembrar quando duma visita a Cuba, fizemos o trajecto Havana/Varadero de autocarro e verificamos, na altura com espanto, a existência de vários viadutos sobre a espécie de estrada que percorremos, os quais não tinham acessos de nenhum dos lados. Afinal por cá também temos disso. Os bons exemplos devem copiar-se.

 

  Quem são os responsáveis por desmandos como estes, pagos com impostos que não param de subir? Ninguém ?

 

  E quando se constatar que obras feitas apenas para satisfazer interesses privados como é o caso de Auto-Estradas "do lá vem um", TGV, e quejandas, não tiveram, como sempre soube que não tinham, retorno económico onde estarão os responsáveis pela sua construção?

 

  Em lugares de destaque de empresas privadas que beneficiaram dessas mesmas obras? enquanto na altura alguém encontrará uma solução expedita para as mesmas, como  fez agora o Presidente da Câmara de Monção,  que em termos irónicos sugeriu: "Se houver problemas de dinheiro para construção da rotunda, a Estradas de Portugal poderá resolver o problema vendendo ou alugando o referido viaduto, que até hoje só serviu para pendurar propaganda.

 

  Pobre País. Não tens conserto.

Estado de Alma: debaixo da ponte
Livro: Todos Os Homens São Mentirosos
tags:
publicado por Lanzas às 18:55

link do post | comentar | favorito
Sábado, 22 de Maio de 2010

NÃO PEDE DESCULPA ... MAS DEVIA

   Na última entrevista à RTP, o Primeiro Ministro José Sócrates, recusou-se a pedir desculpa pelo Plano de Austeridade, aprovado pelo Governo, com o estafado argumento de que nada fazer é que prejudicaria o País.

 

   Em última análise, na catastrófica situação para que nos conduziu até pode ter razão. Alguma coisa teria de ser feita para poder continuar alegremente a endividar-nos.

 

   Mas desculpa devia pedir por ter  chegado ao Governo com um deficite de 6,3 "cozinhado" pelo seu amigo Vitor Constâncio, de forma a justificar o injustificável que foi aumentar impostos quando tinha prometido na campanha não o fazer, afim de poder financiar obras estúpidas, que só serviram para nos conduzir à actual situação.

 

  Desculpa devia pedir pelas subidas e descidas de Impostos ao sabor dos calendários eleitorais. Desculpa devia pedir pelos aumentos dos funcionários públicos, desproporcionados para as nossas possibilidades, feito em ano de eleições.

 

   Aliás o PS é pródigo em distribuir mal aquilo que não há. No tempo de Guterres o preço da gasolina e do gasóleo não subiu apesar dos aumentos vertiginosos do petróleo verificados na altura. E o fim das portagens nas Auto Estradas de que a A8 foi a mais flagarante, foram medidas, entre outras,  que nos levaram para o pântano donde nunca mais saímos.

 

   Desculpa devia pedir por termos atingido o numero recorde de desempregados, quando foi eleito na base de um programa eleitoral com promessas de que iria criar postos de trabalho. Nem digo o numero porque é pornográfico.

 

   Desculpa devia pedir por ter atingido o recorde na carga fiscal sobre os contribuintes.

 

   Desculpa devia pedir por ao mesmo tempo que aumenta impostos, continuar a adjudicar obras sem sentido, que só existem para garantir interesses privados sejam nacionais ou estrangeiros.

 

   Desculpa devia pedir por muito mais coisas, mas sobretudo DESCULPA devia pedir por continuar a ser Primeiro Ministro.

 

  

Estado de Alma: Desculpado
Livro: O Golpe
publicado por Lanzas às 18:59

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sexta-feira, 21 de Maio de 2010

O BICHINHO DA POLÍTICA

   O Concelho de Alenquer, situado a 25 minutos de Lisboa, está a viver politicamente uma situação suis géneris, protagonizada por Álvaro Pedro antigo Presidente da Câmara local durante 34 anos, à frente da qual foi substituído por Jorge Riso.

 

   Não tendo conseguido digerir  o facto da Concelhia do Partido Socialista não o ter indicado para a Presidência da Assembleia Municipal, como era seu desejo, Álvaro Pedro "ameaçou" na hora da partida que "ia andar por aí".

 

   Confirmando que quer ter uma palavra a dizer nos destinos locais do Partido, Alvaro Pedro anunciou agora que se vai candidatar à Comissão Política Concelhia do Partido Socialista.

 

   O argumento que é "o bichinho da política" a falar mais alto é  legítimo, e se tiver o apoio da maioria da estrutura local do Partido perfeitamente válida. Sem contestação.

 

   O que se pode com justiça questionar é o seguinte : O que leva um homem de 71 anos, em que o peso dos anos e da saúde se faz necessariamente sentir, depois de 34 anos no poder, com obra feita, e na generalidade razoavelmente bem feita, a querer voltar ao poder e afrontar aqueles que não se posicionaram de forma a facilitar o seu desiderato, de continuar em lugar de destaque.

 

   O que leva homens que quase se perpetuaram no poder, e não estamos a fazer comparações com ditadores, mas estamos a lembrar-nos deles, a não saberem sair com dignidade preferindo normalmente ser empurrados pela esquerda baixa, como se diz no teatro, a saírem em grande de modo a ficarem recordados pela sociedade pela sua obra de tantos anos, e não pelos últimos dias da sua caminhada, normalmente sem a mesma qualidade, e quase sempre em solidão.

 

   Álvaro Pedro, medite neste conselho: Pare, Escute e Olhe. E fique a pairar por aí,  porque a magistratura de influência e o exemplo da obra feita são muitas das vezes  mais importantes, que a acção directa.

 

   Sobretudo quando as forças começam a faltar.

Estado de Alma: a andar por aí
Livro: Uma Longa Viagem
publicado por Lanzas às 11:12

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 19 de Maio de 2010

JORNAL 24 HORAS - O MINDINHO DO SENHOR JORNALISTA

   No dia 24 de Janeiro último em Editorial do JORNAL 24 HORAS o Senhor Jornalista escrevia, ipsis verbis, o seguinte: "Corto o dedo mindinho em como Cavaco veta o Diploma sobre Casamento Gay".

 

  Ora ao contrário do dado como adquirido pelo Senhor Jornalista, o Senhor Presidente da Republica Cavaco Silva, no uso das suas prorrogativas promulgou ontem o Diploma em causa, sobre tal tipo de casamento, o qual entrará em vigor cinco dias após a sua publicação em Diário da Republica, o que se prevê aconteça dentro de poucos dias.

 

   Sem pretender entrar, de momento, em considerações de qualquer espécie sobre o assunto, apenas venho requerer o cumprimento da promessa feita  de livre e expôntanea vontade.

 

   Cadê o, devidamente cortado, dedinho do Senhor Jornalista? Queremos a fotografia do dito na primeira página do Jornal com urgência.

 

   Está bem pronto, fique lá com o dedinho, mas fica o desfio: Toca de ir a Fátima a pé. É o mínimo que pode fazer pela sua credibilidade, masqueremos a crónica da caminhada, com pormenores, devidamente publicada. Para conferirmos.

 

   E para a próxima não se esqueça: Cuidado com os dedinhos.

 

 

Estado de Alma: sem dedos
Livro: Podes Pintar os Olhos de Azul
publicado por Lanzas às 14:00

link do post | comentar | favorito
Domingo, 16 de Maio de 2010

"VIRIATO" QUEIROZ

NASCEMOS À ESTALADA NÃO HÁ VOLTA A DAR

 

   Carlos Queiroz  quando convidado a dar um cognome à Selecção Portuguesa de Futebol que em Junho vai disputar o Campeonato do Mundo de Futebol na África do Sul,  remeteu a escolha para o local do estágio e avançou com o nome de Viriato: “Foi por estas montanhas que demos umas cacetadas aos romanos por isso creio que em homenagem a Viriato podíamos ter um nome aproximado disso”. 

 

   O Seleccionador Nacional de Futebol mostra assim mais uma vez a sua apetência para resolver os assuntos à estalada. Recentemente esteve envolvido numa cena de pancadaria com o Jornalista Jorge Batista  num local público muito propicio para o efeito: - O lounge VIP do Aeroporto da Portela. Portanto um sítio discreto.

 

    Convidado na altura a explicar o que se passou, reagiu com a maior candura deste mundo: - "Não foi nada de mais, apenas houve uns empurrões  entre pessoas que se conhecem há vinte anos". Simples.

 

    Transpondo isto para o quotidiano podíamos por exemplo no caso da Justiça ver alguém que mantenha um problema  com um confrade, desde que esse problema tenha mais de vinte anos (e há, há não?), passar pelo outro e dar-lhe um calduço. Uma delícia.

  

  Também não seria nada de mais se no calor de alguns debates parlamentares se trocassem uns empurrõezitos entre os nossos políticos. Esteve quase, não pensem, pois não há muito tempo um Deputado do PSD, convidou outro do PS  para resolverem o problema "lá fora". Lindo.

 

  Como isto me faz lembrar os meus dez anos e os tempos de escola: - "Lá fora parto-te a tromba toda", dizia-se por dá cá aquela palha, e às vezes calhava, ou se calhava.

  

  Já outro Seleccionador de Futebol,  Luis Filipe Scolari de seu nome, também não deixou os seus atributos por mãos alheias e tratou  de meter a mão na cara de um jogador da Sérvia no   final de um mau jogo de futebol, e como sempre esteve brilhante na defesa dos seus pontos vista: - "Eu só quis proteger o minino, disse ". (Tratava-se do jogador Quaresma).

  

   Ainda no domínio dos Seleccionadores de Futebol, temos o caso de Artur Jorge, que levou umas palmadas do na altura jogador Sá Pinto por  não o ter seleccionado, o qual há pouco tempo repetiu a dose com Liedson. Era só para ver se não se tinha esquecido.

 

  Outro jogador, João Pinto, num campeonato do mundo de má memória, na altura não passamos da fase de grupos, agrediu o árbitro, Ángel Sánchez, no jogo contra a Coreia do Sul,  após este lhe ter exibido o Cartão Vermelho.

 

  O que havemos de fazer? É a sina de um País que nasce com o filho á estalada à mãe.

 

   Não pode ter outro destino.

 

Estado de Alma: guerreiro
Livro: Sala de Aula sem Bullying
tags:
publicado por Lanzas às 09:33

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sábado, 15 de Maio de 2010

CHAPÉUS HÁ MUITOS...

(Vasco Santana, dixit) !

 

 

Quadro: É o chapéu que faz o Homem, 1920, de M.Ernst - Museum of Modern Art, Nova Iorque

 

Estado de Alma: de barrete enfiado
Livro: A Porta dos Infernos
publicado por Lanzas às 09:44

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 14 de Maio de 2010

MILLÔR FERNANDES

  O humorista brasileiro  Millôr Fernandes colaborou entre 1964 e 1974,  no jornal Diário Popular. Se bem me lembro era sua a última página do suplemento dos sábados do referido jornal, a qual chegou a merecer um comentário, pouco vulgar, de Salazar: "Este gajo tem piada. Pena que escreva tão mal o português."

 

    Na referida página Millôr Fernandes dava azo ao seu talento e  capacidade criativa, com piadas, desenhos e a possível análise crítica da época.

 

   Até hoje recordamos uma dessas piadas, que consideramos ser adequada a todos os tempos, e que não resistimos a reproduzir:

 

  "Se você falar durante meia-hora com um vendedor de carros usados, vai descobrir que o automóvel é uma máquina que melhora com o uso".

  

   Porque será que quando vejo os nossos políticos na TV ou leio nos  jornais aquilo que dizem, me lembro do Millôr Fernandes?

 

                                                                                                                                                                                 Fotomontagem: João Portalegre

Estado de Alma: incrédulo
Livro: Sociedade da Exclusão
publicado por Lanzas às 11:53

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 13 de Maio de 2010

GOVERNO: IMPOSTOS SÃO PARA SUBIR (II)

   Como estava previsto os aumentos aí estão, acabadinhos de aprovar, para serem suportados por "todos" os portugueses.

 

   No caso do IVA, que não fora ter havido eleições no ano passado, nunca teria descido ainda se aceita. Diz-se ser um Imposto cego, mas trata-se de um imposto ao consumo, onde cada um ainda pode fazer alguma gestão desse mesmo consumo.

 

   Agora aumentar o IRS de pessoas que já levam para casa uma miséria é escandaloso.

 

   Por um um governo que se diz apoiar a família e os mais desfavorecidos é uma vergonha.

 

   Para gastar em obras desnecessárias feitas apenas por eleitoralismo e para satisfazer o ego de uns quantos "iluminados" é um atentado.

 

   Na verdade merecíamos melhor sorte com quem nos governa. Mas a sorte procura-se.

 

   Vamos todos procurá-la ?

 

 

 

Estado de Alma: aldrabado
Livro: A Sombra do que Fomos
publicado por Lanzas às 14:50

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 12 de Maio de 2010

GOVERNO: IMPOSTOS SÃO PARA SUBIR

                                       Fotomontagem: João Portalegre

Estado de Alma: de tanga
Livro: A Máquina de Fazer Palavras
publicado por Lanzas às 07:52

link do post | comentar | favorito

EM DESACORDO

Janeiro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

JE SUIS CHARLIE

QUANDO NÃO ERA FIXE FALAR...

Marcelo, Santana e o Cand...

Marcelo, Passos e o Candi...

DIREITOS DOS ANIMAIS ...

O ORÇAMENTO DO NOSSO DESC...

CLARA FERREIRA ALVES

CHOVE EM LISBOA

A FISCALIZAÇÃO SUCESSIVA ...

SUPONHAMOS

arquivos

Janeiro 2015

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Procurar no blog

 

links

blogs SAPO

subscrever feeds

blogs SAPO

tags

todas as tags