Quarta-feira, 9 de Fevereiro de 2011

SE O RIDICULO MATASSE ...

 

Post 228  (Os Manos XVII)

Estado de Alma: Morto
publicado por Lanzas às 15:40

link do post | comentar | favorito

VISTO DA MINHA VARANDA

   São 8,45 de um dia que amanhece enevoado. A promessa de greve nos transportes públicos parece ter feito aumentar o movimento da rua.

   Como diariamente sucede por esta hora, chega um Audi A6 com matrícula de 2007, impecavelmente limpo, que estaciona encostado ao passeio.

   Lá dentro sentado ao volante, discretamente um senhor folheia um jornal.

   São 10,44  do prédio em frente sai com ar apressado, de mala de computador na mão, um jovem impecável no seu sobretudo azul.

   O senhor que estava sentado ao volante  dobra o jornal, sai  e abre a porta do banco de trás do lado direito do Audi. O jovem bem vestido, mas com cara de poucos amigos, entra e passados segundos o carro arranca.

   Rotina diária, hoje um pouco mais tardia que o costume.

   Quanto custa a quem quer que seja, provavelmente a todos nós, este comportamento, este modo de estar na vida tão tipicamente português?

   Não, não é inveja. Nem do lugar do jovem zangado, nem das suas mordomias. É tristeza pela forma como aqueles que atingem determinados patamares usam e abusam do que lhes é posto à disposição.

   E nem sequer estou a colocar em causa as qualidades tidas como necessárias para desfrutar de tais mordomias (provavelmente ser boy), e que pela amostra não devem ser muitas.

   Por esta altura, em Londres, um Senhor  chamado António Horta Osório, Presidente do Lloyds, por indicação discreta do Banco de Inglaterra, que chegou ao Banco provavelmente cerca das 7,00 já trabalhou quase 4 horas das mais produtivas do dia.               

   Por isso é dos melhores. Por isso trabalha para os melhores.

   É por falta de seguir exemplos de excelência como estes, que estamos todos tão mal.

   E vamos continuar a estar.

  

Post 227

Estado de Alma: Enevoado
Livro: Teamneurs
publicado por Lanzas às 13:56

link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 8 de Fevereiro de 2011

O CIRCO (DA VIDA)

                                                                                                                                                                                                               O        

Quadro a Óleo de João Portalegre

                                        O CIRCO  ( DA  VIDA ) TEM  ARTISTAS,

                                        PALHAÇOS, MUSICOS,  E MALABARISTAS.

                                        TEM PAVÕES , PRIMADONAS E ARARAS

                                        VESTIDAS DE PLUMAS E COISAS RARAS;

 

                                        TEM CAMALEÕES, URSOS AMESTRADOS,   

                                        CROCODILOS E  FIGURÕES  ANAFADOS.

                                        TEM  LISBOA , PARIS, SONHOS  E  POESIA

                                        CANTADEIRAS , O FADO E A MOURARIA;

 

                                       TEM  MEMÓRIA   DE   NOBRES   AMORES

                                       CONTADOS COM TINTAS DE MIL CORES.

                                       TEM VALSAS E TANGOS FEITOS A PINCEL

                                       POR  DEGAS , JULIO  POMAR  E   GARDEL;

 

                                       TEM GALÕES DOURADOS , ACROBATAS,

                                       MALANDROS  E  FERAS DE  DUAS PATAS.

                                       O  CIRCO TEM  HISTÓRIAS  DE PASMAR

                                       MAS  NA  VIDA  TEMOS  DE  ACREDITAR

                                                                                            João Portalegre

Post 226

Estado de Alma: Artista
Livro: A Minha Concepção do Mundo
publicado por Lanzas às 10:03

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 7 de Fevereiro de 2011

O FMM (FUNDO MONETÁRIO MERKEL)

 

 

Post 225

Estado de Alma: Afundado
publicado por Lanzas às 10:25

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 4 de Fevereiro de 2011

A GUERRA DAS BANDEIRAS

   Não somos muito dados a comentar as peripécias do futebol nacional, embora uma vez por outra lá sejamos tentados a meter uma colherada no caldeirão agitado onde este se move. Todavia não podemos deixar passar em branco o que mais uma vez se passou no Estádio do Dragão no recente jogo entre a equipa do FC Porto e a do SL Benfica.

   Ao não hastear, pela segunda vez consecutiva, a bandeira do clube com quem disputava o encontro, os dirigentes do FC Porto manifestaram um total desprezo, não só por aqueles com quem lutam, ombro a ombro, na procura de serem os melhores, ou os primeiros, mas por todos os desportistas em geral.

   Nem o facto de terem sido multados da primeira vez, e provavelmente voltarem a sê-lo desta, retira o direito de crítica social a um acto tão feio que uma simples multa pecuniária não é suficiente para o fazer esquecer.

   Não reconhecer o símbolo do clube com quem se disputa um simples jogo de futebol é uma demonstração de falta de cultura desportiva, democrática e de cidadania, que dever ser criticada.

   É um acto que não dignifica seja quem for que pratique.

   Pode eventualmente aceitar-se que os dirigentes, enquanto pessoas, tenham questões pessoais, entre si, mal resolvidas; que não gostem da outra equipa, do treinador dessa mesma equipa, ou do jogador A ou B;  até mesmo da cidade de onde emana o adversário, mas os CLUBES, são instituições, no caso ambas com mais  de cem anos de existência, que estão para além de quem conjunturalmente  os dirige.

   Está na hora de uma reflexão profunda de todos aqueles que giram na órbita desta industria, como gostam de afirmar alguns supostos lideres.

   É verdade que o exemplo dado pelo orgão máximo que dirige o Futebol, ou seja a sua Federação, não é o melhor e ajuda a fomentar rivalidades.

   Mas tenham cuidado senhores não matem a galinha.

   Depois não há ovos. Nem de ouro, nem para fazer omeletas.

 

Post 224

Estado de Alma: Envergonhado
Livro: O Jogo Favorito
publicado por Lanzas às 09:28

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 3 de Fevereiro de 2011

DEPUTADOS ? - NEM MENOS UM!

   Nos idos de 74, quando a política era motivo de animadas tertúlias ou tema de conversa acesa entre amigos e no seio das famílias, convivi de muito perto com uma, para mim, ilustre personagem que quando questionada sobre se era da opinião que acabava de ser expressa, respondia invariavelmente, do alto do seu estatuto de ancião vivido e experimentado da vida: "Sou dessa opinião, ou da contrária se preciso for".

   Embora me lembre da pessoa em questão todos os dias, agora que já não está presente, a sua frase característica veio-me à lembrança depois da entrevista do Ministro dos Assuntos Parlamentares, Jorge Lacão, em que advogava à semelhança da esmagadora maioria dos portugueses a redução do número de Deputados à Assembleia da Republica, e a resposta agreste, feita com cara de poucos amigos do líder do Grupo Parlamentar do mesmo partido, Francisco Assis, o qual de forma vigorosa, peremptória, zangada, agressiva e sem margem para dúvidas veio recolocar o Ministro no seus devido lugar :        

   Nem menos um Deputado.

   Não, não era o líder de algum Grupo Parlamentar que se sentisse eventualmente ameaçado com a redução do numero de Deputados. Era o "representante legal" do Primeiro Ministro, o homem que com este concertou que a PT não pagaria impostos pela distribuição antecipada de dividendos, que veio colocar em sentido para além do Ministro, todos aqueles que entendem que quantos mais são menos fazem os senhores Deputados. E grande parte deles não fazem mesmo nada.

   Por outro lado, a posição de Francisco Assis é uma característica de marca do actual PS. Se for preciso baixar o numero de Deputados por imposição seja da Senhora Merkel, do FMI, ou dos "mercados", aí temos a opinião de Jorge Lacão a fazer vigorar essa tese. Se o País for para campanha eleitoral em breve aí temos o radicalismo de Francisco Assis à procura de rapar uns votos à esquerda.

   Em resumo, também o PS "é dessa opinião, ou da contrária se preciso for".

   Quem diria, mais de 35 anos depois, que tal frase seria tão adequada às circunstâncias.

 

Post 223

 

Estado de Alma: Ao contrário
Livro: Novelas Exemplares
publicado por Lanzas às 11:58

link do post | comentar | favorito

CHINA - O ANO DO COELHO

 

 Post 222

Estado de Alma: De olhos em bico
tags: ,
publicado por Lanzas às 09:50

link do post | comentar | favorito

EM DESACORDO

Janeiro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

JE SUIS CHARLIE

QUANDO NÃO ERA FIXE FALAR...

Marcelo, Santana e o Cand...

Marcelo, Passos e o Candi...

DIREITOS DOS ANIMAIS ...

O ORÇAMENTO DO NOSSO DESC...

CLARA FERREIRA ALVES

CHOVE EM LISBOA

A FISCALIZAÇÃO SUCESSIVA ...

SUPONHAMOS

arquivos

Janeiro 2015

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Procurar no blog

 

links

blogs SAPO

subscrever feeds

blogs SAPO

tags

todas as tags