Quarta-feira, 23 de Março de 2011

...

  Censos 2011 Está a decorrer o chamado Censos 2011, “a mais vasta, importante e onerosa operação estatística realizada em Portugal, recolhendo informação junto de toda a população”.

   Os Censos são entendidos como processos normalizados de recolha, tratamento, avaliação, análise e difusão de dados referenciados a um momento temporal específico e respeitantes a todas as unidades estatísticas (indivíduos, famílias, alojamentos e edifícios) de uma zona geográfica bem delimitada, normalmente o País.

   Tratando-se de um instrumento importante para se saber quantos somos, onde estamos, como somos e como vivemos, e desse modo servir de base para o estabelecimento de adequadas políticas, devemos todos e cada um de nós colaborar responsavelmente.

   Não obstante as razões válidas, para além das legais, para se participar com seriedade no processo, não nos parece certo que numa operação estatística,  ainda que importante e de grande dimensão, seja pedida a identificação do agregado familiar através do nome completo do representante da família e o nome e apelido das restantes pessoas da família. Será com certeza legal, mas parece desajustado.

   Para que é preciso identificar as pessoas, se o que importa é reunir os números por unidades estatísticas? É para saber quantos Antónios, Manueis ou Margaridas somos? E as explicações dadas quando se coloca a questão "Porque é perguntado o nome e a morada nos questionários dos Censos" ?

 Porque é necessário localizar as residências em áreas específicas;

 Porque necessitamos de saber a quem nos dirigimos em caso de dúvida;

 Porque os nomes ajudam a confirmar as relações de parentesco entre os vários membros da família;

no que se refere aos nomes familiares não convencem de todo, além de que em termos de confidencialidade em Portugal estamos conversados. 

   Porém o que nos parece absolutamente fora de qualquer razoabilidade é que seja pedida a identificação (nome e apelido) e género das pessoas que não sendo residentes no alojamento, estavam presentes às 0 horas do dia 21 de Março e não regressaram à sua residência habitual até às 12 horas desse mesmo dia.

   É mesmo uma pergunta de quem quer ser aldrabado, e ou nos enganamos muito, ou levará a que algumas pessoas coloquem séria resistência à colaboração solicitada.

   Também nos merece reserva que se coloque subdividida a pergunta “parceiro em união de facto de sexo oposto” e “parceiro em união de facto do mesmo sexo”. No mínimo é discriminatória.

   Não chega mesmo saber se se é casado ou se se vive em união de facto?

   Ficam colocadas as nossas dúvidas e discordâncias.

 

Post 275

Estado de Alma: Um número
Livro: Panda e os Números
publicado por Lanzas às 11:30

link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 22 de Março de 2011

GOVERNO DE SALVAÇÃO NACIONAL

   Hoje dia 22 de Março é consensual, ou quase, em Portugal que só uma ampla coligação poderá sustentar um Governo de Unidade, ou de Salvação Nacional - não há que ter medo das palavras - de modo a procurar encontrar-se uma solução que não sendo a definitiva, encaminhe o nosso País para uma rota correcta, de onde foi afastado por uma deriva política de obras de regime, a maioria sem qualquer utilidade, feitas apenas para garantir a sustentabilidade de grandes grupos económicos e por uma política eleitoralista permanente, sem comparação no Pós 25 de Abril.

   Encarreirado o rumo do País, será então altura de o povo voltar a escolher os seus dirigentes, par se voltar a uma normalidade política.

   Parece pois, à primeira vista, relativamente simples a solução, caso não houvesse uma pessoa que neste momento ainda dispõe da capacidade de a evitar: José Sócrates.  

  Já apontamos aqui dois nomes do Partido Socialista que nos parecem ser amplamente capazes de ajudar a ultrapassar esta crise: Jaime Gama e Guilherme Oliveira Martins.

   Nos últimos dias outro nome se tem perfilado para poder contribuir para uma solução da nossa grave crise, e pôr cobro à política de mentiras, meias verdades e jogo de palavras, sempre em prejuízo dos mais desfavorecidos, prosseguida por este Governo: Trata-se de Francisco Assis.

   Não fora a eventual convicção de José Sócrates, ou medo de perder o emprego já que ao que consta não sabe fazer mais nada, que depois dele virá o dilúvio e estaríamos a caminho de iniciarmos uma nova fase das nossas vidas. E é bom recordar aqui e agora que de generais invencíveis estão os cemitérios cheios, e José Sócrates nem é general, longe disso, nem é invencível, ainda mais longe.

   Há pois que dar um empurrãozito para o homem se pôr a milhas, já que pelo seu próprio pé parece que não vai.

   Vamos a isso Senhor Aníbal Cavaco Silva, Presidente da Republica?

   Foi para isso, ou coisas parecidas, que o elegemos.

 

Post 274

 

Estado de Alma: A afundar
Livro: Aprendiz de Homem
publicado por Lanzas às 12:50

link do post | comentar | favorito

KADAHFI E A VELHINHA

   As acções de bombardeamento a decorrer na Líbia, que pelos vistos só matam líbios maus, faz-me lembrar aquela anedota em que a professora pediu aos seus pequenos alunos para praticarem uma boa acção que deveriam depois descrever na aula.

   No dia seguinte os petizes foram-se sucedendo a contar a sua boa acção que invariavelmente era que tinham ajudado uma velhinha a atravessar a rua. Quando o número de descrições já era significativo a professora interrompeu e perguntou: Mas porque é que todos ajudaram a velhinha a atravessar a rua?

   A resposta em unissono foi esclarecedora. É que a velhinha não queria atravessar e tivemos de empurrá-la à força.

   Neste caso concreto parece ser a má consciência dos Países mais poderosos a falar mais alto, e a querer obrigar Kadahfi a atravessar a rua. Convém fazer desaparecer o "Lobo Mau", para que ele não conte ao mundo as "prebendas" que Silvio Berlusconi,  Nicolas Sarkozy e quejandos receberam em tempos de vacas gordas.

   Destruir um País à bomba em nome da liberdade, peço desculpa mas é demais. E "cadé" os outros?

   Hitler também falava de um povo superior, supostamente o seu, que tinha de decidir sobre o destino dos maus, para que o mundo pudesse ser cada vez melhor.

   E veja-se no que deu.

   

PS. "Correr" com Kadahfi da Líbia não justifica tudo. O Iraque que o diga.

 

Post 273

Estado de Alma: Bombardeado
Livro: Austerlitz
publicado por Lanzas às 09:31

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 21 de Março de 2011

O PEC 4 NA ASSEMBLEIA DA REPUBLICA

   Finalmente deu à costa o famoso PEC 4, que é como quem diz deu entrada na Assembleia da Republica. Se Deus não descer à terra tem a sua morte anunciada.

   Pelo tópicos fornecidos ficamos com mais um bom exemplo acerca da capacidade de previsão do nosso Governo, sob a batuta de José Sócrates, para a elaboração de Orçamentos ou para o fornecimento de dados fiáveis.

   Quando contra todas as opiniões credenciadas de Instituições e Personalidades que previam ir Portugal entrar em recessão em 2011 o Governo para poder manter a sua campanha eleitoral permanente insistia num crescimento de 0,2%. Agora vem reconhecer o grave erro em que incorreu e promover a descredibilização oficial dos seus Técnicos a começar pelo Ministro das Finanças, Secretário de Estado do Orçamento e por aí fora, assumindo uma recessão de 0,9% a qual mesmo assim ainda está abaixo de previsões credenciadas, inclusive do Banco de Portugal.

   José Sócrates fica de fora da descredibilização dos Técnicos do Ministério das Finanças, por uma razão óbvia: Já não tinha credibilidade.

   Depois do défice de 2009, que foi crescendo, crescendo, crescendo temos agora o de 2011 que vai pelo mesmo caminho.

   E o principal problema é que ninguém acredita, nem cá nem nas Instâncias Internacionais, nos números fornecido pelo Governo.

   Uma verdadeira catástrofe.

   E o TGV continua, até que Sócrates vá para a rua.

 

Post 272

Estado de Alma: Em marcha atrás
Livro: A Tábua de Flandres
publicado por Lanzas às 21:10

link do post | comentar | favorito

O NÓ GÓRDIO DA POLÍTICA PORTUGUESA

   Luís Amado, apesar de alguns desvios, tem sido um dos poucos ministros que ao longo do tempo tem mostrado alguma coerência e bom senso.

   Hoje mesmo veio a terreiro colocando em cima da mesa algumas das realidades já conhecidas dos portugueses, mas que sabe sempre bem ouvir dos responsáveis.

   Disse Luís Amado: “Estamos há demasiado tempo a jogar aos dados com o destino da economia portuguesa e dos portugueses. Sempre defendi que devia haver mais responsabilidade política no País". E continuou: "o País mereceria estar noutra situação".

   Claro que merecia. Sem megalómanos e incompetentes a governarem-nos tinha sido possível. Sem gente politicamente desonesta tinha sido fácil.

   Toda a gente sabe que quando se joga à batota todos perdem menos o dono do “Casino” e no caso concreto de Portugal o "Casino" são os "mercados", sendo que o croupier é a Sra. Merkel.

   Apesar de tudo Portugal tem solução. O principal problema é que a esmagadora maioria dos portugueses entende que qualquer solução será boa se não for com Sócrates.

   Mas José Sócrates entende que nenhuma solução será possível sem ele.

   Presunção e água benta, cada um toma a quer.

   Retirá-lo do poder é pois o nó górdio que é preciso desatar, e quanto mais depressa melhor.

   Hoje se possível.

 

Post 271

Estado de Alma: Jogador
Livro: A Dama de Espadas
publicado por Lanzas às 14:00

link do post | comentar | favorito

VIVA A PRIMAVERA

 

Post 270

Estado de Alma: Primaveril
tags:
publicado por Lanzas às 11:15

link do post | comentar | favorito
Domingo, 20 de Março de 2011

KADHAFI - ASSASSINOS DISSE ELE !

   Muamar Kadhafi não é flor que se cheire. É um terrorista nato, como toda a gente sabe, que não hesitou, nem hesita, nem hesitará em mandar abater aviões cheios de gente inocente, em nome da sua ideologia; nem de assassinar adversários políticos em nome da sua sobrevivência pessoal e política. 

   Sobre esta matéria estamos conversados. Mas Kadhafi é tão terrorista hoje como era há 10, 20,30 ou 40 anos atrás. E sempre o será, não há pois que espantar. O que espanta é que os Países ocidentais ditos democráticos, a troco do petróleo ou na procura dos seus dólares e euros para lhe vender a dívida soberana de Países, como a Itália, a França, EUA e Portugal, e nalguns casos para a venda de material bélico, que agora serve para bombardear os seus compatriotas, tenham ao longo dos anos passado uma esponja por cima dos crimes por ele praticados branqueando, ao longo de décadas, a sua política de terror.

   Os dirigentes máximos desses mesmos Países aceitaram-no à sua mesa e humilharam-se ao serem recebidos na sua tenda de beduíno estereotipado, imaginada para isso mesmo. Para os humilhar.

   Autorizaram que montasse esse símbolo da sua humilhação pessoal em locais emblemáticos dos seus próprios Países. Aceitaram os seus rituais e que deixasse atrás de si, quando partia, os despojos nauseabundos desses mesmos rituais. Agora em nome da suposta defesa do povo Líbio, bombardeiam as defesas antiaéreas e os aviões que lhes venderam, para que quando acabar esta tragédia, a Kadhafi ou a outro ditador igual, possam voltar a vender a sucata dos seus arsenais bélicos.

   E no dia em que este ou outro qualquer Kadhafi semelhante fizer com que o petróleo volte a jorrar e volte a acenar com os seus dólares ou euros, então, aí estará ele triunfante com as suas guardiãs do templo mais a sua tenda de beduíno montada no centro de qualquer monumento nacional de qualquer dita democracia.

   Não presta mesmo Kadhafi, mas já não prestava quando José Sócrates declarava que se tratava de “um líder carismático”

   Lembram-se? Foi "ontem". 

Post 269

Estado de Alma: Murcho
Livro: Crítica da Razão Criminosa
publicado por Lanzas às 15:00

link do post | comentar | favorito
Sábado, 19 de Março de 2011

DIA DO PAI

 

Post 268

Estado de Alma: Pai
tags: ,
publicado por Lanzas às 09:52

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sexta-feira, 18 de Março de 2011

ANTONIO COSTA E O PEC 4

   O Presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, teceu duras críticas à forma como Teixeira dos Santos, Ministro das Finanças, apresentou as novas medidas de austeridade.

   António Costa na sua qualidade de putativo futuro candidato a Presidente da Republica começa desde já a marcar terreno e a marcar distancias. No último programa de televisão “Quadratura do Círculo” e relativamente à prestação televisiva do Ministro das Finanças Teixeira dos Santos aquando da apresentação na sexta-feira passada das novas medidas do PEC 4, que afinal só valem para a UE, BCE, e FMI, mas que em Portugal "são meras linhas de orientação para serem apresentadas e discutidas na Assembleia da Republica" (Poetas que eles são) não foi de modas:

   "A comunicação do senhor Ministro das Finanças na passada sexta-feira ficará certamente para a História como a mais desastrada e desastrosa comunicação política que alguma vez foi feita em Portugal, se não mesmo no hemisfério norte", e acrescentou para não restarem dúvidas “ que as críticas se dirigiam ao conteúdo mas também à forma do discurso”. Segundo António Costa, as palavras do Ministro das Finanças criaram "a ideia generalizada de um conjunto de factos que agora temos vindo a perceber que não são reais", dando como exemplo algumas medidas, como "o famoso congelamento das pensões que afinal não constava das medidas anunciadas",

   António Costa considerou ainda que Teixeira dos Santos contribuiu, desta forma, para a existência da actual crise política que o País atravessa.

   Em matéria de solidariedade socialista estamos conversados. Sim porque amigos, amigos Presidência da Republica à parte.

   Ou por agora será só a do Partido Socialista?

 

Post 267

Estado de Alma: Dessatrado (disse ele)
Livro: Um Traidor dos Nossos
publicado por Lanzas às 15:50

link do post | comentar | ver comentários (34) | favorito
Quinta-feira, 17 de Março de 2011

O POVO DA INTERNET (LEIA-SE BLOGUES)

   Foi com surpresa que li o artigo de opinião de Mário Crespo no jornal Expresso do último sábado, no qual em 108 linhas de prosa, reservou 61  para se referir com manifesto acinte aos Blogues em geral, parecendo pretender assim justificar a sua superioridade intelectual por recusar "os convites que frequentemente lhe são dirigidos para neles escrever", com base na falta de qualidade dos mesmos.

   Obviamente que existem bons e maus Blogues, assim como existem bons e maus jornais, bons e maus programas de televisão, bons e maus jornalistas, bons e maus artigos de opinião, bons e maus "planos inclinados", e por aí fora.

   Curiosamente já existia na imprensa portuguesa um jornalista - Miguel Sousa Tavares -  que por acaso também assina semanalmente uma crónica no mesmo jornal que é um acérrimo opositor "dessa gente" que escreve na internet (leia-se Blogues). Será coincidência?

   Tratando-se de dois credenciados jornalistas com acesso a praticamente todos os meios de informação, lidos e ouvidos por centenas de milhares de pessoas é de estranhar que percam o seu tempo e espaço numa espécie de cruzada contra "essa gente (rasca?) que escreve na internet" (leia-se Blogues).

   Sucede que tal como acontece com os Blogues em geral temos visto bons e maus "Jornais das 9" na SIC Notícias, durante os quais com frequência  Mário Crespo se espraia em considerações e opiniões pessoais, que muitas das vezes ultrapassam os limites de um apresentador de um jornal de notícias, e com as quais nem sempre estou de acordo, tal como muita outra gente.

   Claro que Mário Crespo tem o direito de ter opiniões e tecer considerações, mas em artigos de opinião como este do Expresso, mesas redondas, colóquios, entrevistas e sei lá mais o quê, mas enquanto apresentador de um jornal de notícias não nos parece adequado.

   Relativamente a Miguel Sousa Tavares, com quem basicamente estou em desacordo, mas de quem leio religiosamente as crónicas semanais, tem vindo a perder fôlego nos seus escritos os quais vêm perdendo a qualidade de outros tempos. Acontece aos grandes profissionais. Está em manifesta baixa de forma.

   Voltando aos blogues, onde não existe "só escrita maldizente": Os maus extinguem-se naturalmente no fogo impiedoso da exigência de qualidade mínima. Os outros, com maior ou menor regularidade, face às possibilidades dos seus mentores vão continuar a ter opinião, analisar, comentar, aplaudir ou contestar. É a possibilidade de que dispõe quem não tem, ou não quer ter, acesso a outros meios de informação, pese o desagrado de Mário Crespo e Miguel Sousa Tavares.

   Já no que se refere ao "povo da internet" (leia-se Blogues) destaco ao correr da pena, sem qualquer desconsideração por tantos outros , os nomes de dois Senhores que escrevem com honra e prazer em Blogues: Vital Moreira e José Pacheco Pereira.

   Para que conste.

  

Post 266

Estado de Alma: Repórter X
Livro: Cântigo Negro
publicado por Lanzas às 09:53

link do post | comentar | favorito

EM DESACORDO

Janeiro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

JE SUIS CHARLIE

QUANDO NÃO ERA FIXE FALAR...

Marcelo, Santana e o Cand...

Marcelo, Passos e o Candi...

DIREITOS DOS ANIMAIS ...

O ORÇAMENTO DO NOSSO DESC...

CLARA FERREIRA ALVES

CHOVE EM LISBOA

A FISCALIZAÇÃO SUCESSIVA ...

SUPONHAMOS

arquivos

Janeiro 2015

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Procurar no blog

 

links

blogs SAPO

subscrever feeds

blogs SAPO

tags

todas as tags