Domingo, 10 de Outubro de 2010

PUBLICIDADE AQUI NÃO

      Sabe-se que a publicidade procura através, principalmente, dos efeitos sonoros e visuais captar a atenção dos destinatários, transmitindo simultaneamente uma mensagem subliminar, qual Cavalo de Tróia, destinada a ficar gravada para actuar no momento da decisão: comprar, vender, votar, viajar, etc, sendo por isso mesmo  invasiva dos nossos sentidos.

   Na publicidade exterior, os chamados outdoors são um exemplo vivo do que fica dito, sendo utilizados em larga escala  para destacar marcas, destinos, mensagens, pessoas, partidos e tudo mais que seja considerado necessário promover.

    Sendo nós um povo criativo, nalguns casos até demais (veja-se a criatividade das contas publicas e dos nossos políticos a venderem-nos gato por lebre) é normal que as nossas Agências de Publicidade recebam com regularidade prémios atribuídos quer pela sua criatividade quer pela qualidade intrínseca das suas criações.

   Sucede que no caso em apreço, na nossa opinião, essa criatividade peca por excesso, ao criar um túnel com a imagem de um carro, no final de uma  AE, por onde obrigatóriamente, têm de passar práticamente todos os veículos vindos dessa mesma AE, e que são diáriamente aos milhares.

   Acreditamos que tudo esteja legal. A Concessionário do veículo e a respectiva Agência de Publicidade não iriam instalar ali aquele "machimbombo" se não tivessem sido prévia e devidamente autorizadas, tendo pago para o efeito todas as taxas, licenças, imposto de selo e demais alcavalas devidas.

   A CM Lisboa, por seu lado, não iria autorizar se não estivesse previsto no Regulamento Municipal. Com tantos advogados na Câmara, incluindo vereadores, não iriam pactuar com uma ilegalidade.

   Mas estando tudo legal, como acreditamos, o facto em si ultrapassa o bom senso. Se não se está autorizado a atender uma chamada telefónica urgente no telemóvel porque tal desvia a atenção e pode provocar um acidente, ocorrendo quem o faça em infracção punida por lei, o "carro" ali posicionado o que faz lá se não desviar a atenção de quem conduz numa via, já de si, tão perigosa ?

   Sim porque se não fosse para chamar a atenção não estava lá. E desviando objectivamente a atenção de quem conduz não está a cometer nenhuma infracção ao Código da Estrada ?

   E quando houver um acidente porque alguém se distraiu a "olhar para o boneco" de quem é a responsabilidade? Do D. Pedro, é ?

Estado de Alma: Sentido proíbido
Livro: Esta Cidade
publicado por Lanzas às 14:35

link do post | comentar | favorito

EM DESACORDO

Janeiro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

JE SUIS CHARLIE

QUANDO NÃO ERA FIXE FALAR...

Marcelo, Santana e o Cand...

Marcelo, Passos e o Candi...

DIREITOS DOS ANIMAIS ...

O ORÇAMENTO DO NOSSO DESC...

CLARA FERREIRA ALVES

CHOVE EM LISBOA

A FISCALIZAÇÃO SUCESSIVA ...

SUPONHAMOS

arquivos

Janeiro 2015

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Procurar no blog

 

links

blogs SAPO

subscrever feeds

blogs SAPO

tags

todas as tags