Terça-feira, 14 de Dezembro de 2010

"PISA" - PARABÉNS

   No último debate quinzenal do ano, José Sócrates escolheu a educação como tema principal e aproveitou para anunciar três novas medidas nesta área, em linha com o diagnóstico feito pelo PISA o qual evidenciou que Portugal é o quarto país que mais progrediu na literacia da leitura,  em matemática, e  o segundo país que mais progrediu em conhecimento na área da ciência, integrando agora o grupo de países que estão dentro da média da OCDE.

                        PARABÉNS.

 O Governo vai "insistir na aprendizagem da matemática", promovendo no ensino básico "um tempo lectivo obrigatoriamente alocado ao estudo" desta disciplina. Será criada a "tutória digital" nas áreas do português, da matemática e das ciências, com conteúdos educativos digitais e uma equipa de professores preparada para o novo desafio, e vai também reforçar os programas para o sucesso escolar nas escolas abrangidas pelo Programa Mais Sucesso e de intervenção prioritária, frisou o primeiro-ministro, que considera que o conjunto de dados anunciados acaba com "o mito do facilitismo" nas escolas portuguesas, assim como com "o mito do fatalismo".

   E aqui começam os mitos, mas de sinal contrário, porque o facilitismo existe nos exames de matemática e português em que o grau de exigência dos mesmos é francamente baixo.

   Existe na avaliação dos professores, que teve como único mérito, e convenhamos que já é um mérito, apressar a passagem à reforma de um conjunto de professores que desactualizados com as novas tecnologias nuns casos e beneficiários de mordomias realmente inconcebíveis, como os célebres horários zero e outras, optaram por aproveitar a  maré para se reformarem, antes de sofrerem os cortes previstos para as reformas antecipadas.

   O facilitismo existe no Programa Novas Oportunidades, onde se obtém os resultados pela simples presença e elaboração de fichas para serem validadas, de olhos fechados.

   Não é tão fácil como obter determinadas Licenciaturas em determinadas Universidades, mas é muito o "facilitismo".

   De tal forma que o numero de alunos que entraram na Universidade via Novas Oportunidades cresceu quase cinquenta vezes em dois anos, obrigando Ministro que tutela o Ensino Superior a estudar alterações à lei de forma a impedir a utilização abusiva deste programa.

   É o nosso "fatalismo".

   O que aconteceu com o PISA é o primeiro passo de um longo caminho, o que já é importante, mas o caminho que falta percorrer ainda vai deixar marcas em várias gerações, e ao contrário do que afirmou José Sócrates não terminou com "o mito da falsa escolha entre uma escola para todos ou uma escola de qualidade".

 

Post. 176

Estado de Alma: Doutor
Livro: A Matemática das Coisas
publicado por Lanzas às 09:37

link do post | comentar | favorito

EM DESACORDO

Janeiro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

JE SUIS CHARLIE

QUANDO NÃO ERA FIXE FALAR...

Marcelo, Santana e o Cand...

Marcelo, Passos e o Candi...

DIREITOS DOS ANIMAIS ...

O ORÇAMENTO DO NOSSO DESC...

CLARA FERREIRA ALVES

CHOVE EM LISBOA

A FISCALIZAÇÃO SUCESSIVA ...

SUPONHAMOS

arquivos

Janeiro 2015

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Procurar no blog

 

links

blogs SAPO

subscrever feeds

blogs SAPO

tags

todas as tags