Quinta-feira, 14 de Julho de 2011

O COLOSSAL DESVIO

   Os portugueses nas últimas eleições quiseram romper com um passado politico recente, que durou seis anos e cujos dois  últimos pareciam não ter fim, durante os quais o ex-Primeiro ministro que diga-se de passagem não reunia as competências mínimas necessárias para exercer o cargo, utilizou sistematicamente o “passado” como a causa de todos os nossos males e como a justificação da sua desastrosa  política com a qual conduziu Portugal a uma trágica situação económica e financeira, praticamente sem paralelo na história do País.

   Pedro Passos Coelho parecia querer cortar com essa forma enganosa, deselegante e sem credibilidade de fazer política, quando afirmou que o seu Governo “não se iria nunca queixar da herança deixada pelo PS”.

   Entrava assim em vigor uma nova forma de fazer política. Pela positiva.

   Além de ser elegante permitia deixar de vez os esqueletos no armário e abrir as janelas para entrada de ar puro. Arregaçávamos as mangas e olhávamos em frente. Para o futuro. Por muito difícil que esta seja.

   Eis senão quando, subliminarmente, numa reunião do PSD, Passos Coelho deixou cair que “o seu Governo encontrou um desvio colossal em relação às metas estabelecidas para as contas públicas”, o que levantou de imediato um coro de “virgens arrependidas” não contra os desvios, sejam do défice que não para de subir, seja com as consequências com obras iniciadas sem visto do tribunal de contas e que agora vão custar centenas de milhões de euros mesmo que não se façam, seja com outros desmandos semelhantes que a pouco e pouco haveremos de ter conhecimento.

   Convenhamos no entanto que apesar de não terem razão para carpir mágoas, foi-lhes servido, em bandeja de prata, um pretexto de ouro, que se apressaram a cavalgar, utilizando a Comissão de Acompanhamento do Programa da ‘Troika’, ao afirmarem que esta devia analisar as declarações de Passos Coelho e ouvir o que o Governo tem a dizer sobre as mesmas, para perceber o que está em causa, pois fazem parecer que "o Governo está já a preparar terreno para não cumprir os objectivos acordados com a 'troika'.

   Verdade ou não, quem não quer ser lobo não lhe veste a pele e Passos Coelho quis mesmo dizer aquilo que dizia não querer dizer.

   Agora não tem do que se queixar.

 

{#emotions_dlg.chat}Post 368

Estado de Alma: Desviado
Livro: A Criança Que Não Queria Falar
publicado por Lanzas às 10:05

link do post | comentar | favorito

EM DESACORDO

Janeiro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

JE SUIS CHARLIE

QUANDO NÃO ERA FIXE FALAR...

Marcelo, Santana e o Cand...

Marcelo, Passos e o Candi...

DIREITOS DOS ANIMAIS ...

O ORÇAMENTO DO NOSSO DESC...

CLARA FERREIRA ALVES

CHOVE EM LISBOA

A FISCALIZAÇÃO SUCESSIVA ...

SUPONHAMOS

arquivos

Janeiro 2015

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Procurar no blog

 

links

blogs SAPO

subscrever feeds

blogs SAPO

tags

todas as tags